quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Pizza Mobile (Ericeira)

A Ericeira é rica em produtos marítimos, ou não viesse o seu próprio nome de um, e existe uma quantidade imensurável de restaurantes que o apregoam. Mas a oferta gastronómica na Ericeira não é, felizmente, unicamente dedicada a este tipo de produtos como, por exemplo, o fantástico Tik Tapas (aqui), um restaurante de petiscos óptimo e que toda a gente deve visitar! 
Existe também um nome que vem regularmente à baila, principalmente no que se refere ao campeonato das pizzas. Não conheço bem a história do Pizza Mobile, mas tenho ideia que terá começado como um negócio de street food, tendo-se depois expandido para a actual localização, uma vivenda com uma vista fantástica sobre a Praia de São Lourenço, onde podemos descontrair ao final de tarde enquanto observamos um pôr do sol apaixonante.
O serviço é jovem e mais ou menos desenrascado, ainda que passe demasiado tempo com os olhos no chão, em vez de levantar a cabeça para a sala. E o espaço... nem sei! Estava estarrecido com a vista e não quis ver mais nada. Isto bastante bem acompanhado por uma Mean Sardine Zagaia, uma cerveja artesanal nascida na Ericeira.


As coisas nem começaram muito bem. Pedimos uma Focaccia que de focaccia nada tinha. Alguma mea culpa ao não ter lido na descrição "massa de pizza". Porque uma focaccia não é massa de pizza! Logo, assumi que estávamos todos em linha nos mesmos termos gastronómicos italianos e não nos tínhamos posto a inventar e a roubar a ideia mental que as pessoas têm de um prato. Percebo interpretações, desconstruções e reinvenções. Mas não era o caso, era só mesmo ilusão de focaccia. Os restantes ingredientes (rúcula, cogumelos, queijo azul, queijo edam e nozes) deram um ligeiro ar de sua graça mas não consigo perceber a sua parca utilização principalmente porque a base continuou muito seca. Havia ainda um bocado de tomate no meio da massa de pizza que criou alguns esgares de gozo. Chamar a isto focaccia é só tentar enganar os mais distraídos e, desta vez, com sucesso!


Os "apontamentos" no meio do prato devem ser prática comum, já que as pizzas também apresentavam um ridículo pormenor de rúcula localizado no centro das pizzas. Não acrescenta nada logo, não deveria estar presente! Felizmente as pizzas são boas. Muito boas! Excelente base, saborosa e cozinhada o suficiente para permitir que se coma à mão e com o seu rebordo estaladiço. Pode-se pedir em 3 tamanhos (Mini para quem come pouco, Large para uma pessoa que coma bem ou duas que comam pouco ou XL para duas pessoas que comam bem) e ainda há a hipótese de pedir 2 metades diferentes para a mesma pizza XL, o que é óptimo pois dá para experimentar mais variedades da ementa. Apesar de que a ementa não parece extremamente diversificada, com uma escolha algo limitada no que se refere aos ingredientes. Acabamos por olhar várias vezes para a ementa e ficar com a sensação que algumas pizzas parecem repetidas.
Optámos por uma XL metade Chourição (queijo, tomate, oregãos, chourição, cebola, alho e alcaparras), metade Fiambre (queijo, tomate, oregãos, fiambre, cebola e pimentos) e outra XL metade 4 Queijos (tomate, oregãos, queijo azul, queijo feta, queijo mascarpone e queijo edam), metade Presunto (queijo, tomate, oregãos, queijo mascarpone e presunto).
Combinações simples mas com ingredientes decentes e utilizados sem contenção. Não são ingredientes de excelência mas tudo ali encaixa bem. O sítio, a vista, a boa base e o rácio base/ingredientes. E os preços são justos!

Chourição / Fiambre
4 Queijos / Presunto
Com a sobremesa, apercebi-me que a especialidade aqui são mesmo as pizzas! Se a entrada não tinha deslumbrado, também a saída não convenceu com um Apple Crumble fraquinho. Base e rebordo excessivamente grosso e cozinhados, revelando uma dose de recheio de maçã demasiado fina ainda que simpática. O crumble em si também não ajudou, apresentando-se demasiado enfarinhado e sem ser muito estaladiço. Se as proporções estivessem mais ajustadas até poderia ser uma sobremesa decente mas a concretização não foi boa.


Para quem está na zona da Ericeira e quer comer uma pizza (ou até ir buscar, pois existe serviço de Take-Away) é uma excelente opção. A qualidade das pizzas convenceu-me a querer regressar e a recomendar, mesmo que o resto não acompanhasse.

Pizza Mobile
Ericeira, Portugal
Pizza Mobile Menu, Reviews, Photos, Location and Info - Zomato
Preço Médio: < 20 €
Data da Visita: 10 de Agosto 2016

terça-feira, 15 de agosto de 2017

Esplanada Furnas (Ericeira)

A Ericeira é uma zona riquíssima em peixe e marisco, daí haver uma proliferação natural de marisqueiras e restaurantes dedicados aos produtos marítimos. Raros são aqueles que têm uma vista como a do restaurante Esplanada Furnas, praticamente construído em cima do mar, mas que faz com que os seus preços sejam inflacionados face à restante realidade que conseguimos encontrar na Ericeira.
Porque a verdade é que nada, sem ser a vista, é realmente único neste restaurante. O serviço é perfeitamente banal, sem grandes sorrisos ou simpatias. O espaço é engraçado, a decoração está gira mas eu não como a decoração e muito menos a quero pagar! A vista ok, ainda pago, mas a decoração já não é tanto o meu estilo. Ainda que seja gira...
E a comida? A comida não é má mas não acompanha a vista e a expectativa. Começámos a refeição com umas boas Amêijoas à Bulhão Pato, com o ingrediente principal a ser de excelente qualidade mas o molho merecia ser mais puxado.


Os peixes grelhados (Garoupa e Pregado) estavam bastante decentes. Notava-se também a qualidade da matéria-prima e a decente qualidade da mão que está na grelha mas seria muito mais interessante se fosse servido com batatas de melhor qualidade. O peixe estava bom, com o seu interior húmido e um bom ponto de sal mas não achei nada do outro mundo.


Sempre olhei para as Furnas, tanto a vertente Restaurante/Esplanada como o de Marisqueira, como um local onde se paga demasiado considerando a envolvência em que está, onde o mais fácil é encontrar boas grelhas, com excelente matéria-prima e a um preço mais justo. Se têm a mesma vista? Não têm, mas abdico bem dela...

Esplanada Furnas
Ericeira, Portugal
Esplanada Furnas Menu, Reviews, Photos, Location and Info - Zomato
Preço Médio: < 30 €
Data da Visita: 8 de Agosto 2016

segunda-feira, 14 de agosto de 2017

O Ribeirinho (Guia)

O Algarve é sobejamente conhecido pelas suas praias, o seu peixe, o seu marisco e os milhões de turistas que todos os anos populam cada metro quadrado de areia como se fosse o último. Mas, há um prato que atravessa as fronteiras da regionalidade portuguesa e é o foco de todos os que se dirigem à população da Guia, em Albufeira. Falo claro do Franguinho à Guia, popularizado pelo famoso Ramires (aqui) mas que se espalhou pela área de Albufeira como as hamburguerias se espalharam por Lisboa nos últimos anos. 
A questão aqui foi a perda de qualidade que verifiquei no Ramires da última vez que lá fui, começando a ouvir falar de muitas outras opções válidas na zona da Guia. Há até quem jure a pés juntos que o Teodósio tem, e sempre teve, um franguinho melhor do que o Ramires. Mas esse tira-teimas terei que deixar para outras núpcias.
Fomos então experimentar O Ribeirinho, na Estrada Nacional 125, onde a especialidade (e aquilo que vemos sair para todas as mesas) é esta pequena ave. O serviço é feito a uma velocidade quase estonteante (ainda que o restaurante esteja bem composto) e em pouco tempo chega a nossa vez de experimentar o afamado bicho.


Que em nada fica a dever à casa original, e baseando-me só na última visita que fiz ao Ramires arrisco-me a dizer que supera, seja na confecção do frango, no molho utilizado, na forma como o sabor da pele estaladiça nos preenche a boca ou até nos simples acompanhamentos que se apresentam bem executados.
Simples, bom e rápido... tudo o que queremos numa refeição de Franguinho à Guia!

O Ribeirinho
Guia, Portugal
Preço Médio: < 20 €
Data da Visita: 11 de Julho 2016

domingo, 13 de agosto de 2017

Serol (Armação de Pêra)

Como é lógico, não conheço todos os restaurantes relevantes do país. Arrisco-me a dizer que nem 1% desses restaurantes conheço ou tenho sequer referenciados, para não falar da volatilidade com que a definição de "relevância" pode mudar ou os restaurantes que podem abrir e fechar. Por isso, nunca tinha alguma vez ouvido falar do Serol, uma marisqueira já antiga em Armação de Pêra com um tipo de oferta que podemos encontrar um pouco por todo o país, e a preços que não me pareceram demasiado inflacionados pela zona.
Há aqui uma coisa que quero deixar clara. Temos das melhores, senão mesmo a melhor, costa do mundo! Temos produtos vindos do mar que deixam o resto do mundo a salivar! Temos acesso ao melhor peixe e o melhor marisco... então porque falhamos tantas vezes na forma como o tratamos?
Adoro Bifes de Atum. O que eu não gosto mesmo é que a quantidade de vezes que pedimos um bife de atum grelhado e vem completamente passado e seco! Já é natural que se use partes mais magras do atum para os bifes (salvo algumas excepções, normalmente no Algarve, onde conseguimos encontrar barriga de atum), mas agora cozinhá-lo até à exaustão? Vá lá, é atum! É tratá-lo como carne e deixá-lo muito mal passado! Principalmente quando o peço mal passado... aliás, se tivesse vindo cru para a mesa até tinha sido melhor. O serviço ainda tentou minimizar a questão mas a verdade é que era o último bife que tinham e odeio esperar por comida quando já toda a gente tem a sua na mesa. 


O sabor era bom e o atum até tinha alguma qualidade, o que ainda me chateia mais por a cozinha o ter estragado, mas é impossível ultrapassar o excesso do ponto de cozedura. Uma pena, já que os Lombinhos de Peixe-Galo à Bulhão Pato que também se comeram na mesa estavam bem melhores.
Assim que os restaurantes portugueses, principalmente aqueles que existem há demasiados anos e acabaram por parar no tempo, se aperceberem como se deve tratar a matéria prima fantástica que temos, então sim vamos finalmente poder mostrar a nossa gastronomia mais pura e tradicional ao resto do mundo!

Serol
Armação de Pêra, Portugal
Preço Médio: < 30 €
Data da Visita: 9 de Julho 2016

quarta-feira, 9 de agosto de 2017

Santa Maria (Entrecampos)

Por ocasião de uma reunião de trabalho matinal naquela zona, calhou que o almoço recaísse sobre um dos locais mais usado de forma recorrente pelos trabalhadores locais para o mesmo efeito. O local nada tem de bonito, encantador ou charmoso, assim como o serviço que é feito mais a despachar para que os clientes possam almoçar rapidamente e assim prosseguir com o seu dia laboral.
Alguns pratos do dia e alguns grelhados disponíveis, acabando a escolha por recair nos Secretos de Porco. Pela quantidade de gente que estava no restaurante acabei por criar alguma expectativa quanto à comida mas a verdade é que saíram um pouco furadas. Ainda que bem temperados, os secretos apresentaram-se um pouco secos e os seus acompanhamentos também em nada ajudaram, com um arroz banal e umas batatas fritas caseiras que poderiam estar mais fritas.


Pelo preço eu sei que não se pode pedir muito, pois um almoço facilmente fica abaixo dos 10€, mas o mundo dos almoços semanais é bastante concorrido e acredito que não seja difícil encontrar melhor oferta (pelo mesmo preço) nas redondezas.

Santa Maria
Lisboa, Portugal
Restaurante Santa Maria Menu, Reviews, Photos, Location and Info - Zomato
Preço Médio: < 20 €
Data da Visita: 4 de Julho 2016

terça-feira, 8 de agosto de 2017

Adega do Falhão (Caparide)

A Adega do Falhão muito provavlemente passa despercebida a quem por lá passar. Não está extremamente sinalizada, notando-se apenas a existência de um toldo no meio das vivendas. Um restaurante como há muitos outros, onde em zonas residenciais nasciam pequenas tascas nas próprias vivendas, com o propósito de conseguir alimentar os restantes habitantes do bairro a preços justos.
Aqui, a ementa anda muito à volta dos grelhados mas com preços que considero um pouco mais altos que outros estabelecimentos deste tipo. A sua decoração roda à volta de um só tema, o futebol, com camisolas por todas as paredes, de vários clube e gerações! O serviço é simpático, ainda que não seja o mais expedito do mundo... Ou seja, um sítio porreiro para se juntar um grupo, comer qualquer coisa e ver o jogo que estiver a dar na TV.
Começámos as hostilidades com uma travessa de bons Enchidos, com especial destaque para a Linguiça.


O Entrecosto e a Entremeada, servido numa dose para dois bastante considerável, apresentou a carne bem grelhada, ainda que apresentando um ou outro bocado já algo esturricado, bem temperada e algo gulosa. Um prato seguro e bem executado.


O pior foi o Bife de Novilho, pedido como sempre mal passado, mas chegando à mesa bem passado e já algum tempo depois das restantes pessoas da mesa estarem servidas! Tudo neste prato ficou um pouco aquém... o ovo também podia ter estrelado um pouco menos e as batatas fritas a precisarem de mais tempo dentro do óleo! O arroz? Bem, o arroz é aquele pré-feito servido em 80% dos estabelecimentos que só servem arroz assim por uma preguiça imensurável, acabando por não dar nenhum destaque positivo mas também não prejudicando a imagem da casa se o resto dos componentes cumprirem com o esperado. E, se no entrecosto e entremeada isso aconteceu, aqui já não foi bem assim.


Como as doses são de bom tamanho, e havendo planos para um bolo de aniversário a seguir ao jantar, já não fomos às sobremesas e arrumámos assim a refeição.
Dependendo do contexto acho que pode ser um sítio engraçado para se frequentar. Se quisermos lá ir pela comida, acho que há melhor e aos mesmos preços, mas se quisermos juntar um grupo de amigos, petiscar algo e beber umas cervejas enquanto vemos a bola... então parece-me bastante mais adequado.

Adega do Falhão
Caparide, Portugal
Adega do Falhão Menu, Reviews, Photos, Location and Info - Zomato
Preço Médio: < 20 €
Data da Visita: 14 de Junho 2016

segunda-feira, 7 de agosto de 2017

Curtas #20: La Jabuteca (Sevilha)

Hoje não vos trago um restaurante. Hoje trago-vos um conceito. Quando estive em Sevilha, em Junho de 2016, fiquei fascinado com o conceito da La Jabuteca. A fantástica possibilidade de tornar o presunto um snack de street food e ainda conseguir tirar o máximo proveito de restos da perna que se calhar não seriam tão bem aproveitados.


Ou seja, entramos na loja (sim, é uma loja de rua) e podemos, como é lógico, comprar vários presuntos, inteiros ou fatiados, para levar para casa. Mas, o interessante aqui é a possibilidade de comer logo qualquer coisinha para matar aquele pequeno bichinho que vai crescendo com os passeios. Neste caso, um cone de cubos de presunto! O presunto não era fantástico (percebe-o hoje depois de ter visitado o Jamón Experience, mas também não me recordo se haveria mais do que uma variedade à escolha), mas era bastante decente, e uma ideia óptima e original para se ir desfrutando enquanto se continua o passeio.

La Jabuteca
Sevilha, Espanha
Data da Visita: 9 de Junho 2016